Furando fila no Japão

Em primeiro lugar: nunca, jamais, em hipótese nenhuma, fure uma fila no Japão. Se a sua ideia não for infartar uns 30 japoneses de uma vez só, não fure, vá por mim. O problema de brasileiro no Japão é que a gente é tão mal educado e desorganizado que até sem perceber a gente transgride o código de postura nipônico.

Eu me lembro que estava procurando uma plataforma do metrô de Toquio, meio perdida até que, lendo as placas sinalizantes no teto, percebi que estava no lugar certo. Fiquei parada no mesmo local por 2 segundos. Foi o tempo de eu abaixar a cabeça, me virar e ver que estava na frente de três japoneses. PRONTO, FUREI FILA. Quase saiu um terremoto (de magnitude extrema) de tanto ódio no olhar deles. Eles murmuraram coisas incompreensíveis, já tava vendo a hora que eles invocariam um pokemon e me empurrariam nos trilhos. Rapidamente, antes que o pior acontecesse, saí da frente deles.

Metrô de Tokyo

Em outra ocasião, embarquei no Shinkansen (trem bala) em Quioto com destino a Tóquio. Eu carregava comigo um mochilão nas costas, uma mala grande de rodinhas e minha bolsa tiracolo (sim, eu sempre erro no tamanho e no peso da bagagem). Até eu conseguir acomodar toda a tralha e me assentar na minha poltrona numerada acho que já tinha atingido uns 13 japoneses com a bagagem. Todos me olhavam torto. Sem querer já tava lá de novo escandalizando os passageiros orientais. Mais do que rapidamente, começou a passar no letreiro interno os dizeres: “Ladies and gentlemen, welcome to the shinkansen. This is the Kodama superexpress bound for Tokyo. FAVOR SER EDUCADO, CUIDAR DA SUA BAGAGEM E NÃO INCOMODAR OS COLEGAS” (só que numa linguagem mais polida e em inglês). Emudeci. Se aquilo não foi pra mim não sei mais para quem foi. Enfiei minha cabeça num buraco imaginário e segui viagem.

Shinkansen: trem bala do Japão

Minha última falta grave foi em Hiroshima. No Japão, existem chocolates imensamente saborosos e eu me apaixonei perdidamente pelo Meiji Almond. Numa galeria de Hiroshima esse chocolate estava custando menos de 2 reais a caixinha!!! Fui ao delírio! Enchi minha cesta. E depois, claro, de furar a fila sem perceber, ser repreendida e voltar para o fim dela, fui barrada no caixa. Se eu não sei ler japonês como eu poderia descobrir que havia uma cota de duas míseras caixas por pessoa? Como é que eu conceberia que os japoneses são civilizados e solidários a ponto de estipular limite na compra de chocolates em promoção para todos os cidadãos terem oportunidade de comprar???

Meiji Almond – o chocolate mais gostoso da galáxia

É muita educação e muito respeito para quem não está acostumado com isso. Comprei as 2 caixas do chocolate que me cabiam e trouxe meu constrangimento e minha falta de educação de volta comigo para o Brasil.