Manual do viajante – dicas para fazer uma viagem internacional com tranquilidade

Dizem que a sabedoria consiste em aprender com os próprios erros e tentar não repetí-los. É o que tento fazer principalmente ao planejar uma viagem. Até porque, lá fora, quando não dominamos o idioma, as menores coisas podem se tornar ultra complicadas e dar aquela dor de cabeça.

Na minha primeira viagem internacional eu não sabia direito nem para onde estava indo. Pisei em solo estrangeiro, cheguei ao apartamento que tínhamos alugado e só depois percebi que as tomadas e a voltagem eram diferentes. Resultado: o primeiro ponto que visitei não foi turístico, mas uma loja de eletrodomésticos para comprar um secador de cabelo (quem usa franja entende). 🙁

Prejuízos desnecessários

Na segunda viagem ao exterior eu olhei direitinho a questão das tomadas. O problema foi na hora de dar notícias aos parentes no Brasil sobre minha chegada. Eu não sabia como fazia ligação internacional da Europa para o Brasil e eu queria falar com minha mãe principalmente depois do pânico que passei no avião (esse ocorrido você lê em “Para o alto e avante! Superando medo de avião“). Fiquei toda perdida e acabei comprando um cartão telefônico no aeroporto de Madri que saiu por uns R$ 100,00 e, mesmo assim, também não consegui usar (ANTA). Além disso, na mesma ocasião, eu quase tive que pagar excesso de bagagem em milionárias libras esterlinas porque excedi o peso (ANTA2).

Voltando do Japão tive um contratempo para despachar as malas e tive que trazer as minhas como bagagem de mão. Uó. Resultado: foi tudo revirado e quando o japa achou uma cartela de isqueiros quadrados que comprei para presente eu gelei. “Ai moço eu não sou terrorista! Não quero explodir o avião!” Antes que eu terminasse de pensar besteiras ele sorriu e só confiscou os isqueiros mas ainda me deixou um! 😀

Para ajudá-los a não cometer os mesmos equívocos eu fiz uma listinha de 15 itens importantes para quem vai viajar para fora do país pela primeira vez (ou não):

passaporte
Tenha os documentos necessários em mãos
1-PASSAPORTE: Fácil e rápido. No site da Polícia Federal tem todas as informações. Alguns países exigem que o passaporte tenha um período mínimo de validade. É possível viajar para Argentina, Chile, Bolívia, Colômbia, Paraguai, Equador, Uruguai e Venezuela portando apenas carteira de identidade com menos de 10 anos de uso.
2-VISTO: sugiro entrar no site da embaixada do país para o qual deseja viajar. Brasileiros não precisam de visto para visitar os países do Mercosul (Argentina, Chile, Paraguai, Venezuela e Uruguai) nem da União Européia (veja aqui a lista dos países). Colômbia, Peru, Islândia, Noruega, Suíça, Rússia também dispensam o visto para nós.
3-VACINAS: Alguns países exigem o CIVP (Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia) em dia. Ele é emitido pela Anvisa e pode ser retirado nos Centros de Orientação ao Viajante. Mais informações no site da Anvisa e no site da Organização Mundial de Saúde (OMS).
4-PASSAGENS AÉREAS– Fique atento aos horários de saída e chegada na hora da compra. Programe-se com relação ao transporte do aeroporto para o local da hospedagem em caso de chegar de madrugada ao destino final. Os metrôs normalmente param de funcionar após a meia-noite. Olhe também o tempo de espera entre as conexões, fique atento a seu portão de embarque. Não perca um voo por desatenção pelamooor…
5-HOSPEDAGEM – Faça as reservas com antecedência e procure referências do local na internet. Imprima as reservas do hotel, hostel ou o endereço da casa do amigo que vai te receber. Se você pegar um taxista que não fala inglês ou ficar desorientado, com o endereço em mãos você consegue ajuda mais facilmente.
6-SEGURO VIAGEM – é exigido pelos países que integram o Tratado de Schengen, que são os países da União Européia, exceto a Croácia. Também é obrigatório para entrada em Cuba e para estudantes de intercâmbio na Austrália. Para os demais países é optativo. Aí fica aquela dúvida: vale a pena? Se tudo correr tranquilo na sua viagem você não vai precisar usá-lo mas existe o imponderável. Diante de qualquer emergência prepare-se para deixar um rim como pagamento do atendimento médico. Tem várias empresas no mercado que oferecem o seguro, me recomendaram a Mondial Assistance.
7TOMADAS E VOLTAGEM: Atualmente a maioria dos eletrônicos são bivolts (funcionam em 110v ou 220v). Mas é preciso checar sempre antes de ligar o aparelho para não correr o risco de queimá-lo. Os modelos de tomada também são diversos para complicar ainda mais nossa vida. Não sei por que inventaram tantos tipos diferentes, por isso é bom ter um adaptador universal ou, pelo menos, um que adapte seu eletrônico à eletricidade do país de destino. Nessa matéria da UOL Viagens tem os desenhos dos plugues e tomadas de cada país.
Adaptadores
Adaptadores diversos
8- COMO FAZER LIGAÇÕES PARA O BRASIL: Além da internet, o modo mais fácil, cômodo e grátis é a cobrar então é o que você precisa saber hehehehe. A Embratel oferece o Brasil Direto que possui um número de acesso ao serviço diferente para cada país. Todos esses números estão disponíveis nesse guia de bolso . O melhor é que tem um atendente que fala português para te dar esse help.
Vou abrir um parênteses aqui de um aplicativo de celular que gosto muito: antes de viajar, baixe o LINE no seu celular e no da pessoa com quem você deseja falar. Quando vocês 2 estiverem conectados poderão falar tranquilamente com qualidade por quanto tempo quiserem de graça.
9-BAGAGEM: Leve apenas o necessário. Lembre-se que fora do Brasil as coisas são mais baratas e a gente faz a festa. Por isso tem que tomar cuidado para não pagar por excesso de peso. Normalmente pode-se trazer 2 malas de 32kg. Se sua viagem incluir várias cidades também não compensa ficar zanzando de uma para outra carregando muita bagagem. Já fiz um post especial sobre o assunto: “Que mala! Tudo que você precisa saber sobre bagagem na hora de viajar“.  Atenção: vamos supor que você compre uma promoção imperdível para a Europa saindo de São Paulo mas você mora no Rio. Aí você compra separadamente a passagem RJ-SP. Esse voo é considerado doméstico portanto não encaixa na cota do voo internacional. “Como assim?” Veja o que o Guia do Passageiro da (ANAC) diz:
“Quando a viagem internacional inclui um trecho (voo) doméstico, a regra é a seguinte: quando as passagens aéreas, tanto para o voo nacional quanto para o voo internacional forem conjugadas, ou seja, quando houver apenas um contrato de transporte (mesmo se forem de empresas diferentes), o passageiro terá direito à franquia de bagagem do destino internacional; Quando as passagens não forem conjugadas, ou seja, quando houver contratos de transporte distintos, o passageiro terá direito à franquia de bagagem nacional no trecho nacional e à franquia de bagagem internacional no trecho internacional.”
CIMG7181
Já penei carregando mochilão nas costas, hoje só levo mala de rodinha
10-TEMPERATURA LOCAL: Alguns dias antes de viajar consulte a previsão do tempo do seu destino de viagem. Pesquise em grupos se está frio, calor, se tem neve, se é época de cerejeira, se tem algum fenômeno climático se aproximando, essas coisas.
11-MOEDA: eu não costumo usar cartões pré-pagos e agora com a cobrança de IOF de 6,38% meu desânimo só aumenta. Sempre levo dinheiro, apesar de ser menos seguro, mas nunca tive problema. Alguns bancos permitem que você faça saques em outros países, informe-se na sua agência e peça liberação do seu cartão para uso internacional. Leve sempre com você mais de 1 cartão de crédito para uso em caso de emergência. Antes de fazer o câmbio certifique-se se fica mais barato trocar moeda aqui ou no país de destino.
12-PERIGOS LOCAIS: todo país tem malandro. É bom sempre ter cuidado porque tem batedores de carteira até na Torre Eiffel. Antes de viajar pesquise os perigos locais, por exemplo, não é legal ficar no bairro La Boca em Buenos Aires após às 18h. Saiba se é seguro andar à noite sozinho, essas coisas básicas de sobrevivência. Cuidado ao deixar dinheiro no hotel. Cuidado ao sair com dinheiro na rua, tome conta do seu passaporte como se fosse sua própria vida.
13-TRANSPORTE: Antes de sair do Brasil veja a melhor forma de se locomover lá fora, se é de metrô, ônibus, trem ou táxi. Baixe aplicativos de celular com os mapas do metrô e da cidade. Pegue mapas de papel nos serviços de apoio ao turista. Programe seu translado aeroporto-hotel-aeroporto com antecedência principalmente se for à noite.
Paris
Metrô em Paris
3739161393661
Perdidas em Buenos Aires
 14-FUNCIONAMENTO DOS PONTOS TURÍSTICOS: Muitos pontos turísticos não funcionam todos os dias. Pesquise antes para não dar de cara com a porta fechada e perder valiosas horas se deslocando para uma frustração. Tem também os dias mais lotados, aí compensa comprar os bilhetes antecipadamente pela internet. 😉
15-RELATOS DE VIAGEM: Leia o máximo de relatos que puder. Tem milhões de blogs com informações valiosas para facilitar sua vida como o Blog da Cabrita está fazendo agora!
Agora sim, tudo pronto para sua viagem! Se você tem medo de avião leia “Para o alto e avante, superando o medo de avião”
E para os casos de perder o avião leia: “Perdi o avião ganhei Madri! Uma cortesia do acaso”
Boa sorte e boa viagem!!!