Dia 8 – Valparaíso x Viña del Mar

Acho que existem dois tipos de pessoas: as que gostam mais de Valparaíso e as que preferem Viña del Mar. Desde o início eu já sabia que gostaria mais da primeira mas resolvi pagar para ver. Reservei dois dias da minha viagem ao Chile para conhecer cada uma dessas cidades por conta própria, com calma, e desvendar os segredos que dividem tantas opiniões.

Escolhemos a segunda-feira para ir a Valparaíso, Patrimônio da Humanidade declarada pela Unesco. Foi uma péssima escolha pois nenhum museu abre na segunda-feira. Enfim, pegamos o metrô na estação Bellas Artes e descemos na Universidad de Santiago, onde fica o Terminal de ônibus Alameda. Também é possível embarcar no Terminal Pajaritos, basta descer na estação de metrô de mesmo nome.
Terminal de ônibus da Estação Universidad de Santiago
Terminal de ônibus da Estação Universidad de Santiago
Três empresas fazem o trajeto e os preços variam entre $ 2.500 e $ 3.000 CLP. Por causa do horário optamos por viajar com a Tur-bus. Fomos abordadas por uma moça da Rodtour oferecendo o passeio para as duas cidades por $ 20.000 CLP. Não aceitamos e seguimos firme na nossa meta.
Na minha vez de comprar o bilhete no guichê outra mulher da mesma agência me abordou e ofereceu o passeio por $ 15.000 CLP. Considerando que as passagens ficariam em 6.000, o passeio sairia por 9.000. Aí eu não tive escolha, aceitei e fui. hehehe

Por Agência

Venhamos e convenhamos, não me arrependi. Acordamos tarde e pelo horário que saímos de Santiago (tipo 11h da manhã) não achei um mal negócio. Até Valparaíso o ônibus demora 1h30. Mal chegamos eu já comecei a achar lindas demais aquelas casinhas nos morros. Fomos recepcionados pelo guia Camilo, muito simpático. Primeiro vimos os leões marinhos que ficam sobre uma plataforma no cais. É legal vê-los escalando e disputando espaço.
leaomarinhoporto
Leões Marinhos na plataforma do cais de Valparaíso
Em seguida paramos na Plaza Victoria para ver a Catedral de Valparaíso e o Congresso Nacional. Também fomos até a Plaza Sotomayor onde tem o Monumento aos Heróis de Iquique, uma homenagem aos marinheiros que perderam a vida no combate naval.
Nessa praça estão vários prédios patrimoniais como o da Armada do Chile e do Corpo de Bombeiros (vale lembrar que os bombeiros são voluntários). Tem também o prédio super moderno da Companhia SudAmericana de Vapores (CSAV) que mantém a fachada antiga preservada.
armadadochile
Armada do Chile
monumentoalosheroes
Monumento aos Heróis de Iquique
CompanhiaSudAmericanadeVapores
Companhia SudAmericana de Vapores (CSAV)

Parte baixa

A cidade tem prédios muito antigos que contam um pouco da história do Chile. Alguns são bem velhos mesmo por isso talvez a parte baixa da cidade não seja esteticamente muito atrativa para alguns. A fiação nos postes também polui um pouco o visual. Da Plaza Sotomayor pegamos o Ascensor El Peral (que custa simbólicos 100 pesos) e subimos até o Paseo Yuguslavo, no Cerro Alegre.
ascensorelperal
Ascensor El Peral
paseoyuguslavo
Mirante do Paseo Yuguslavo

Parte alta

Os Cerros são realmente encantadores! É onde mora cerca de 80% da população de Valparaíso. Algumas pessoas dizem que parece uma favela mas eu não penso assim. Lembra um pouco Ouro PretoOlinda… mas não tem comparação, Vaparaíso é única.
Há casas ricas e casas menos favorecidas interligadas por ruas, ruelas, becos e escadarias. Muitas herdaram dos colonizadores a arquitetura europeia (alemã e inglesa nos cerros e francesa e italiana na parte baixa, segundo o guia) e o povo faz questão de colorir e decorar suas casas com flores, grafites, ou simplesmente com cores alegres. Mais fotos dos cerros você vê aqui.
valparaiso
Cerro de Valparaíso

Viña del Mar

Passamos na porta da casa do Pablo Neruda, La Sebastiana, mas por ser segunda-feira estava fechada. 🙁 Almoçamos no Café Postal Restaurante, no Cerro Artillería, e partimos para Viña del Mar já no tardar das horas. Viña é uma cidade linda e rica, talvez, justamente por isso, não tenha rolado uma identificação imediata entre nós. Logo fizemos a parada obrigatória para fotos no Relógio de Flores.
relogiodefloresvinadelmar
Relógio de Flores – Foto clichê de Viña del Mar
O Castelo Wulff que eu tanto queria conhecer estava fechado mas tudo bem, a vista por fora é linda…
castelowulff
Castelo Wulff

Moai da Ilha de Páscoa

O Museu Fonck também não estava funcionando mas o que eu queria ver de perto consegui porque fica do lado de fora: um moai original da Ilha de Páscoa encantador! Existem só 5 moais desses no mundo fora da Ilha de Páscoa. Depois disso o guia nos deixou no Terminal de Ônibus de Viña del Mar e voltamos para Santiago.
moaiilhadepascoa
Moai da Ilha de Páscoa

Considerações Finais

Passeio por agência é sempre mais corrido do que ir por conta própria mas para mim foi o suficiente para ter uma visão geral das duas cidades. Além disso, para fazer por conta própria eu teria que andar muito e subir ladeiras.
Estava calor, céu lindo e azul, achei bem confortável estar sentadinha na sombra sendo levada pela van e parando apenas em pontos estratégicos. O preço também saiu bem baratinho. As informações do guia foram muito interessantes e incrementaram o rolé! Então, no geral, achei válido.
PORÉM, como eu sou teimosa e tinha mais dias livres, resolvi voltar à Valparaíso por conta própria para conhecer La Sebastiana e passear pelos Cerros. Também foi sensacional. Leia o post aqui.
A dica então é: O preço que as agências mais famosas cobram para fazer o passeio varia entre $ 35.000 e $ 40.000 CLP. As menores cobram entre 23.000 e 25.000 CLP. Se você quer pagar barato (eu paguei 15.000) para conhecer as duas cidades com guia vá até o Terminal Alameda, anexo à Estação Universidad de Santiago e pechinche ao ser abordado pelos caça-turistas.
Fale que você quer conhecer as duas cidades mas prefere ir por conta própria, eles vão continuar te perseguindo até baixar o preço. Lembre-se que não tem o mesmo conforto e qualidade que as agências melhores oferecem.
Depois me conta se gosta mais de Valparaíso ou Viña del Mar! 😀