Lua de mel em Roma, Itália – O que comer, o que fazer?

Oi genteeeeeee!

Como vocês sabem o Dicas da Cabrita é aberto para os leitores e amigos queridos compartilharem suas experiências de viagem. Hoje, o espaço está aberto para a jornalista Karina Castro contar sua trip pela Europa! Ela viajou para Itália e França em lua de mel com o maridão Fabrício Lopes. Vamos começar por Roma! Eu gosto de alguns filmes de Woody Allen (ALGUNS) e fiquei encantada com “Para Roma com Amor” muito em função do longa se passar nessa linda cidade. Agora, a Karina vai mostrar para vocês dicas de como se dar bem na capital italiana!

Texto: Karina Castro

Viagem realizada em agosto de 2014 – verão europeu

A Itália é um país interessantíssimo com muita coisa diferente para ver, fazer e comer! Vale a pena ir em qualquer ocasião: em família, sozinho, com amigos, enfim…tem atrações para todo gosto. Além das belezas naturais, o país tem várias cidades que são verdadeiros museus a céu aberto. E como o país é pequeno é possível desbravá-lo de trem ou carro e conhecer muita coisa em poucos dias.

A culinária italiana é conhecida mundialmente pela autenticidade. O carro chefe são as massas. A pizza é o xodó deles, principalmente em Nápoli (ou Nápoles), onde foi criada a pizza napolitana que caiu no gosto do mundo. Ela é bem diferente da brasileira. É mais simples, porém muito saborosa. Os sanduíches, pães e doces são deliciosos! Vale a pena frequentar as padarias. O sorvete italiano mais conhecido como gelato é um sonho, sem dúvida o melhor do mundo! A decepção fica por conta da água que, acreditem, tem sabor. Isso mesmo… parece que tem sal. O gosto varia de acordo com a marca, mas no geral, é difícil querer tomar água lá.

10606598_695595810507517_3103563672813882343_n
Pizza napolitana!

Sete cidades em onze dias

Decidimos passar a lua de mel lá porque queríamos uma viagem que reunisse diversão, romantismo e conhecimento. Fizemos um roteiro com a ajuda da Thaís (1 beijo para Thaís!), uma colega de trabalho que já conhecia o país. Escolhemos as cidades que tinham a ver com o nosso perfil e no meio das pesquisas acrescentamos outras. Em onze dias conhecemos sete cidades tranquilamente. Tudo de trem.

Iniciamos o passeio por Roma, onde ficamos três dias. De lá seguimos para Nápoli, uma cidade caótica e muito suja. Nos hospedamos lá basicamente pra conhecer Pompéia, a cidade devastada pelo vulcão Vesúvio. Como ela fica pertinho fomos de metrô, passamos o dia e depois retornamos para Nápoli, onde ficamos mais dois dias. O próximo destino foi Florença. Passeamos pela cidade e aproveitamos a localização dela pra conhecer a famosa Torre de Pisa e a cidade de Assis, onde nasceu São Francisco. Reservamos um dia para cada fazendo bate volta de trem. Depois seguimos para Veneza, onde andamos na tão famosa e inflacionada gôndola. Passamos dois dias e embarcamos em um avião para Paris, para a segunda etapa da lua de mel.

karina
Fabrício e Karina em lua de mel na Itália

ROMA

Roma é uma cidade encantadora. Andar pelo centro histórico é como percorrer páginas e páginas de livros. É ver de perto ícones como Coliseu, Panteon, Fontana di Trevi, Vaticano, entre outros. São tantas atrações que tem que ter fôlego. Mas quem deseja visitar a cidade não precisa reservar mais do que três dias. É tudo muito perto…além de passear a pé o turista também pode usar o transporte público que atende bem. Tênis e sombrinha para se proteger do sol são artigos essenciais.

Panteon
Panteon

VATICANO

Para não perder tempo é bom se programar. Quem quer visitar o Museu do Vaticano e a Capela Sistina, por exemplo, deve comprar o ingresso com antecedência pela internet. É um pouco mais caro (4 euros a mais), mas vale a pena por evitar filas gigantescas. A entrada que vale para os dois custa 20 euros (com a taxa extra) e deve ser comprada neste site. Lá você escolhe o dia e o horário da visita. Aí é só chegar e entrar.

Fila Museu do Vaticano e capela sistina
Fila para Museu do Vaticano e Capela Sistina

Como o complexo é grande e possui um acervo fantástico é bom chegar cedo e passar o dia. O acervo cultural e religioso é impressionante. A Capela Sistina é pequena mas imponente. É conhecida mundialmente pela decoração de afrescos pintados por grandes artistas renascentistas. Lá não pode tirar fotos mas todo mundo acaba tirando. Se o guarda pegar ele te obriga a apagar a imagem. Após sair da capela você pode conhecer a praça e a Basílica de São Pedro. Mesmo pra quem não é católico vale a pena. A grandiosidade da construção chama a atenção assim como as belas esculturas, algumas famosas, como a Pietà, de Michelangelo.

Basílica de São Pedro
Basílica de São Pedro
Basílica de São Pedro
Basílica de São Pedro

Dicas:

As reuniões do Papa são realizadas toda quarta-feira. Se quiser evitar filas vá em outros dias.

Não é permitido entrar com braços e pernas de fora. Então, evite camisetas, shorts e saias acima do joelho. Algumas pessoas ainda conseguem comprar lenços, mas pagam caro.

COLISEU E FORO ROMANO

Eleito em 2007 uma das sete maravilhas do mundo moderno, o Coliseu é o grande símbolo de Roma. Ele foi construído há mais de 1900 anos e por isso, fica sempre lotado. A visita dura em média duas ou três horas. Costuma ter menos movimento pela manhã. Quem quiser conhecer a parte subterrânea tem que pagar um passeio com guia. É agendado na bilheteria do local. É bom levar água porque não existe lanchonete dentro do Coliseu.

Coliseu
Coliseu

karina2

Pra entrar é preciso comprar o ingresso na bilheteria que sempre fica cheia, por isso, a melhor opção é comprar o Roma Pass, um cartão válido para três dias. Com ele você entra direto no Coliseu, tem acesso às ruínas do Foro Romano, ao transporte público e a outras atrações culturais. Vale muito a pena! O Roma Pass custa 30 euros e está à venda nos postos de informação turística, nas atrações participantes, além do site.

FONTANA DI TREVI

O mais lindo dos símbolos de Roma estava em reforma. Quem sonha em jogar a moedinha (tradição) e tirar uma linda foto na fonte vai ter que esperar até o final de 2015. Para tentar amenizar a frustração do público a prefeitura montou uma passarela, assim, as pessoas podem ver o monumento enquanto ele é restaurado. Sem graça, viu!

Fontana di trevi
Fontana di Trevi em obras

DICA DE HOSPEDAGEM:

Os hotéis em Roma são bem caros, por isso, vale a pena pesquisar bastante e, se possível, evitar a alta temporada. Pra quem deseja praticidade e preços mais em conta uma boa opção é a região perto da Termini. Não é um lugar muito bonito, mas tá perto de tudo, é mais barato e você ainda ganha em deslocamento. Na rua Cavour tem vários hotéis agradáveis. Lá também tem mercadinhos, lanchonetes, padarias e restaurantes. Minha dica de hospedagem é o Relais Forus Inn. Fica entre a estação ferroviária e o centro histórico. O quarto é simples porém bem decorado e limpo. O café da manhã é básico mas bem gostoso com pães, café, iogurte ,biscoitos e cereais.

No próximo post sobre minha lua de mel vou falar sobre minha passagem pelas outras cidades italianas e sobre a segunda etapa de nossa viagem a PARIS!

Aguardem cenas dos próximos capítulos. 😀