Como estudar para concursos com pouco dinheiro

Veja dicas de cursos e de como estudar para ter melhores resultados
Passar em um concurso público é o sonho de muita gente que busca um bom salário, segurança e estabilidade profissional. Aliás, nesses tempos de crise, um emprego estável não cairia nada mal. Mas, para conseguir a tão sonhada aprovação, um longo caminho deve ser percorrido. São horas e horas de dedicação aos livros, apostilas e cursinhos.
 
young-791849_640Quem deixa o emprego para estudar, também tem que lidar com a falta de dinheiro e a incerteza da aprovação, porque, convenhamos, nem todos serão aprovados, somente os mais capacitados que persistirem, simplesmente porque não há vagas para todos. Por isso é importante dar o melhor de si para não estudar em vão. E saiba: a concorrência é gigantesca, mas você só precisa de uma vaga.
Quando temos algum dinheiro guardado ou um “patrocinador” fica mais “fácil” estudar. Mas não são raros os casos como o que vi outro dia: o de um pai de família desempregado, que pediu dinheiro emprestado a uma amiga para fazer cursinho e foi aprovado em primeiro lugar em um disputado concurso federal, depois de passar por várias dificuldades. A vida de estudante é difícil, mas a partir do momento que você a escolhe, é melhor fazer bem feito.
Como estudar sem dinheiro
student-849825_6401- Minha dica para quem quer estudar e está com poucos recursos são os cursos virtuais, assim, você não gasta com deslocamentos nem com alimentação fora de casa. Existem vários na internet. Uma sugestão é o site Eu Vou Passar. Você paga R$ 50,00 por mês e faz todos os cursos que precisar, além da possibilidade de baixar as aulas para seu computador e assistir quando quiser. Antes de efetuar sua compra, verifique se tem os cursos cobrados no seu edital e assista às aulas disponíveis para saber se gosta do professor (normalmente tem mais de um professor para as disciplinas). Conheço pessoas que elogiam muito o EVP e outras que não curtem, por isso tire suas próprias conclusões.
2-Outra possibilidade é destrinchar o edital e procurar por aulas específicas – e grátis – no youtube, por exemplo. Também existem os sites de questões como o Qconcursos que ajudam bastante na fixação da matéria.
3- Os cursos como Estratégia Concursos e Ponto dos Concursos são excelentes e super recomendados, porém não são tão baratos e quem não consegue estudar pelo arquivo em pdf no computador gastará um bom dinheiro para imprimir as apostilas. O lado bom é que você pode parcelar o curso em dez vezes. Hoje eles também oferecem videoaulas, o que facilita o estudo.
4- Para quem tem facilidade de estudar sozinho, sem a orientação de um professor, vale à pena comprar os livros específicos para concursos de determinadas disciplinas, por exemplo, o Direito Constitucional Descomplicado e o Direito Administrativo Descomplicado, de Marcelo Alexandrino, e o Arquivologia para Concursos, de Renato Valentini, entre outros.
5- Não deixe de se cadastrar no site do Supremo Tribunal Federal (STF) (clique aqui) para receber os boletins diários. As decisões do Supremo são exageradamente cobradas em provas.
Quantas horas devo estudar
student-732012_640O número de horas debruçado sobre livros é uma eterna dúvida para os concurseiros. Mas, afinal, existe o tempo ideal de horas de estudo que garanta a tão sonhada posse?
A resposta é sim, só que esse número varia de acordo com cada um. Este ano, entrevistei William Douglas, juiz federal e autor do best seller “Como passar em provas e concursos”, e ele me disse o seguinte: “Não existe uma fórmula mágica. O estudante deve estudar o máximo que puder, desde que mantenha um mínimo de qualidade de vida para que não entre em um estresse tão alto que prejudique seu rendimento”.
learn-528391_640Segundo ele, que já foi aprovado em nove concursos públicos, a organização do tempo é indispensável para a qualidade do estudo, sob pena de o estudante perder em rendimento e em produtividade. Ele destaca a importância de criar um quadro de horários e um plano de estudos. “Eles ajudam o estudante a ficar mais calmo e a dividir bem as matérias”, explica Douglas.
Além das horas dedicadas aos livros, é importante reservar parte do tempo para o lazer. “Recomendo que um dia por semana não haja estudo para a pessoa se recuperar. O ideal é que tenha atividade física para ajudar a relaxar e controlar o lado emocional”, destaca Douglas. Clique aqui para acessar o quadro horário sugerido por William Douglas.
Dicas finais
-Durma 8 horas por dia (ou quantas você se sentir descansado)
-Estude o máximo que seu cérebro permitir (e respeite os limites dele, cérebro exausto não processa bem as informações)
-Faça revisões frequentes para manter o conteúdo “fresco” na memória
-Faça pausas após cada 50 minutos ou 1 hora de estudo
-Pratique exercícios físicos diários
-Tire um dia da semana para descansar, ver os amigos e/ou a família
-Encare os estudos como um trabalho e não como algo chato de ser feito
Boa sorte e bons estudos!
Conheça o Dicas da Cabrita, siga no Instagram e no Twitter e curta a página do Facebook!