Dog walkers e pet sitters em Belo Horizonte

Profissionais são cada vez mais requisitados por tutores de pets que precisam viajar ou não têm tempo de passear com os animais

dogwalker
Cães precisam passear regularmente para seu bem-estar físico e psicológico, mas nem sempre os donos têm tempo para isso

Atualmente, para ter um animal de estimação é preciso planejar bastante. Isso porque cães e gatos não precisam só de amor. Eles devem ser vacinados e vermifugados regularmente, visitar um veterinário em algumas ocasiões, viver em um ambiente espaçoso e limpo, além de ter uma alimentação de qualidade e passeios regulares. Mas quem tem os peludos como membros da família afirma que tudo vale a pena.

E esse amor pelos animais gera resultados na economia. Alheio à crise econômica, o mercado pet cresce a cada dia em todo o mundo. A estimativa é que o setor fature cerca de R$ 17 bilhões por ano só no Brasil com serviços, alimentação, acessórios e medicamentos veterinários para cães e gatos, entre outros produtos.

Dog Walkers

O bem-estar dos pets está tão em alta que a demanda por profissionais especializados neste nicho cresceu muito nos últimos anos, como os dog walkers (que levam os cães para passear) e os pet sitters (babás de cães e gatos).

Fernando Antunes. Foto: Arquivo pessoal
Fernando Antunes. Foto: Arquivo pessoal

“Ofereço passeios diários de aproximadamente 1 hora para cães de grande porte e de 30 minutos para cães de pequeno porte. Também faço treino de corrida com os cachorros, caso haja necessidade. Além disso, os acompanho ao pet para banho, tosa e ao veterinário para consultas, exames, cirurgias, entre outros”, afirma o dogwalker Fernando Antunes, 53, que atende na região Nordeste de Belo Horizonte.

Ele conta que começou a atuar na área por sugestão do filho, que conheceu a profissão no exterior e sabe da paixão do pai pelos animais. “É um serviço muito prazeroso para mim. Tenho uma relação de confiança e amizade com os cães que me deixa muito realizado”, afirma Antunes.

Ainda segundo ele, apesar de a renda mensal não ser fixa, é satisfatória. “A fatura mensal depende do número de clientes que o dog walker tem. Eu mesmo, por exemplo, já conquistei uma excelente clientela nesses anos de trabalho”, conta.

Pet sitter

Quem também tem muitos clientes é Pedro Souza, 33, que começou a trabalhar na área após um acidente que o afastou do emprego. “Nesse tempo, eu passeava muito com meus cães e comecei pegando os cães de familiares e amigos, e outras pessoas começaram a me perguntar quanto eu cobrava para passear. Assim, os contatos foram aparecendo”, conta Souza.

Além dos passeios, ele também atua como pet sitter, que é o serviço mais procurado por pessoas que viajam ou ficam fora de casa nos fins de semana. “A finalidade é ir até a residência, fazer a limpeza do ambiente, trocar a água e alimentar o cão. Também estão incluídos 30 minutos de brincadeiras ou um passeio curto”, explica o profissional, que já tem clientes fixos nos bairros Buritis, Havaí, Salgado Filho e Castelo.

Creche

Filhos de Bel adoram receber os cães em casa. Foto: Arquivo Pessoal
Filhos de Bel adoram receber os cães em casa. Foto: Arquivo Pessoal

O sonho de Souza é montar um hotel spa para cães, onde eles possam interagir em um espaço aberto e tenham várias atividades. Sonho este que Bel Lima, 47, está realizando há 8 anos. Ela simplesmente abriu as portas da casa onde mora para os cães, que ficam livres e soltos, convivendo com os filhos dela. “Comecei com o hotelzinho porque um amigo não tinha com quem deixar o seu filhote. Começou assim, de mansinho, e meus filhos amaram a experiência. Desde então, hospedamos cães nas férias, feriados e fins de semana”, conta Bel.

Com o tempo, ela também fez um curso de banho e tosa e montou um salão em casa, mas ainda precisava de uma solução para os cães que não tinham onde brincar durante o dia enquanto seus responsáveis trabalhavam. “Foi então que surgiu a creche para cães, que funciona durante o dia. A frequência varia muito de acordo com a época do ano. Em meses de férias e em feriados longos, recebemos até 20 cães”, frisa.

Mas para ter sucesso na profissão, é fundamental amar os animais. “Minha relação com os cães é de respeito, não os trato como crianças e, sim, como cães mesmo, valorizando seu potencial, sua inteligência e sua liberdade de expressão canina. Cães são ótimas companhias e cada raça apresenta um talento diferente”, destaca Bel.

Contatos:

Pedro Souza:
Dog walker e pet sitter
Contato: (31) 98842-9012 e (31) 99363-7160
facebook.com/vamospassearbh

Local: atua em todas as regiões de Belo Horizonte

Fernando Antunes:
Dog walker e personal dog
Contato: (31) 98808-6509
facebook.com/personaldogbh

Local: atua em todas as regiões de Belo Horizonte

Bel Lima: 
Creche e Hotel
Contato: (31) 99148-9515
facebook.com/bel.lima.568

Local: bairro São Lucas, Belo Horizonte

(Fonte: Renata Abritta / O Tempo / 13/03/2016)

Conheça o Dicas da Cabrita, siga-nos no Instagram, no Twitter e no Face! <3

faceblogtwitterbloginstagramblog (1)