Take Five: novidade no mercado das cervejas artesanais

Enquanto você lê este post muita coisa está acontecendo no mundo cervejeiro. Neste exato momento, uma nova cerveja está fermentando na Cervejaria Verace, no Jardim Canadá, em Nova Lima, e tem tudo para ser muito saborosa: a Take Five.

A Cervejaria Verace fica no Jardim Canadá, em Nova Lima

Ela é uma cerveja colaborativa produzida por ex-alunos da Academia Sommelier de Cerveja para comemorar os 5 anos da instituição, que foi fundada por Fabiana Arreguy e Marco Falcone, e é administrada por Jaqueline Oliveira.

“Pensamos na brassagem como uma forma de comemoração e reunião dos alunos das dez turmas que já formamos. Além disso, queríamos ter em mãos um produto que pudesse marcar esse tempo. Foi criada uma força tarefa para que eles elaborassem a receita dando opinião sobre todos os ingredientes, sobre qual seria o perfil dessa cerveja e o resultado que queremos alcançar”, afirma Fabiana.

Ex-alunos da Academia Sommelier de Cerveja participam da brassagem
Ex-alunos da Academia Sommelier de Cerveja participam da brassagem

Estilo

Por votação, ficou resolvido que a Take Five seria uma Juicy IPA com cinco lúpulos, para marcar os 5 anos e também porque o estilo permite. Trata-se de uma IPA mais suculenta, com muitos aromas tropicais, cítricos e frutados.

“Achamos que cinco lúpulos diferenciados trariam um perfil refrescante e ficaria bem bacana pela representatividade e pelos aromas escolhidos”, conta ela.

Os direitos da receita foram cedidos para a Cervejaria Verace bem como o nome Take Five. O rótulo já está sendo registrado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Segundo Falcone, cuja música preferida chama-se Take Five, em breve poderemos provar a nova cerveja.

“A Juicy IPA é um estilo novo que surgiu nos Estados Unidos e está sendo muito apreciado hoje pela turma da nova cerveja. Em até 20 dias ela já poderá ser servida”, explica Falcone.

Fabiana Arreguy, Marco Falcone, Renata Abritta (eu) e Viviane Furst na Verace

Mercado

Tanto Fabiana quanto Falcone observam com entusiasmo o boom que vive o mercado da cerveja artesanal em Minas Gerais e em outras regiões do Brasil.

“Não foi por acaso. O que está aparecendo agora é fruto de um trabalho de muitos anos de vários pioneiros que trouxeram a cultura da cerveja craft para o Brasil. É um movimento que vem desde a década de 90, muito devagar. De uns dois anos para cá, ele tomou forma e explodiu. Não tem volta, vai crescer cada vez mais”, destaca Fabiana.


“O mercado é incrível. A cerveja artesanal tem crescido 20% ao ano, ao passo que a cerveja industrial tem regredido 3%. Então, é um processo inverso. O crescente interesse pela cerveja artesanal está muito ligado à questão da gastronomia e da qualidade de vida. Estamos seguindo um benchmark do que ocorreu nos Estados Unidos. O Brasil é o terceiro maior produtor de cerveja do mundo, mas é apenas o 17º em consumo per capita. Achamos que a cerveja artesanal vai fazer com que essa disparidade diminua”, finaliza Falcone.

Gostou deste post? Você também vai gostar de ler “Noções de como fazer cerveja em casa”.